Atividade de Leitura contribui na redução do estresse e ansiedade no Centro de Socioeducação de Londrina II
07/08/2020 - 16:17

Durante o período de isolamento social imposto pela Covid-19, os Censes - Centros de Socioeducação do Paraná, vinculados à Secretaria da Justiça, Família e Trabalho, tem implementado projetos viáveis como a oferta de obras literárias para reduzir o estresse e ansiedade dos adolescentes em conflito com a lei que se encontram com restrição ou privação de liberdade.

Um dos exemplos é o Cense Londrina II, que inaugurou a biblioteca “Capitães de Areia”, cujo nome foi escolhido pelos próprios adolescentes, pela identificação com a história narrada pelo escritor Jorge Amado. Além de ser um espaço que reúne um vasto acervo literário, ainda sedia ações com os jovens e a comunidade educativa para incentivar a leitura e o debate. “Estimular o gosto pela leitura é muito importante em qualquer fase da vida, pois ajuda a despertar a criatividade, aumentar o vocabulário e melhorar a escrita, sobretudo na adolescência, uma fase de transformação da vida”, disse o secretário Mauro Rockenbach, lembrando que ler não é apenas uma questão de tempo, mas envolve acesso aos livros, o que vem sendo proporcionado nos Censes.

O primeiro encontro na Biblioteca Capitães de Areia, aconteceu virtualmente com a discussão do tema sobre o enfrentamento ao racismo e a construção de ações antirracistas, por meio da referência do livro “O Pequeno Manual Antirracista”, da filósofa e ativista Djamila Ribeiro. A ação contou com debate online entre os adolescentes dos Censes I e II de Londrina, das equipes das instituições, leitores externos que são parceiros do sistema socioeducativo, da juíza Claudia Catafesta (Vara de Adolescentes em Conflito com a Lei), Marcelo Biso (Promotor da 27ª Promotoria de Justiça) e Elizabete Arruda Silva (Defensora Pública), todos da Comarca de Londrina, além da contribuição voluntária de Leandro Palmerah e da docente de língua portuguesa Angelita Siqueira.

O chefe do Departamento Socioeducativo da Sejuf, coronel David Antonio Pancotti, afirma que com a nova biblioteca, os adolescentes podem embarcar no mundo lúdico da literatura. “A leitura tem o objetivo de reinserir socialmente os jovens, aprimorando a linguagem e preenchendo o tempo ocioso”, afirmou.

GALERIA DE IMAGENS

Últimas Notícias