Secretaria da Justiça apresenta política da assistência social no Conselho dos Povos Indígenas e Comunidades Tradicionais
13/09/2019 - 18:15

A política da assistência social praticada pela Secretaria da Justiça, Família e Trabalho (Sejuf) foi apresentada nesta sexta-feira (13), na reunião ordinária do Conselho Estadual de Povos Indígenas e Comunidades Tradicionais do Estado do Paraná – CPICT/Pr, em especial aos quilombolas. “A política de assistência social será prestada a quem dela precisar”, disse a assistente social Magali Socher Luiz, do Departamento de Assistência Social da Sejuf, lembrando que o objetivo é superar situações de vulnerabilidade e risco em que os usuários se encontram.

A apresentação, transmitida por videoconferência para todos os Escritórios Regionais da Sejuf, foi dirigida à população quilombola, por sugestão do Conselho. O Paraná possui 45 comunidades quilombolas (reconhecidas pela Fundação Palmares), em 36 municípios, que abrigam 1306 famílias, das quais 431 estão em estado de extrema pobreza, ou seja, que percebem uma renda per capita de até 89 reais ao mês.

Magali explicou a importância das famílias quilombolas se inscreverem no Cadastro Único para ter acesso a programas sociais como o BPC – Benefício de Prestação Continuada, Bolsa Família, Tarifa Social de Energia Elétrica, Luz Fraterna, Leite das Crianças e outros 30 programas que utilizam o CADúnico para seleção dos beneficiários.

As famílias quilombolas estão distribuídas nas seguintes comunidades:  Feixo (175 famílias), Invernada Paiol da Telha (108), Adelaide Maria Trindade (67), Despraiado (47), São Roque (36), Negra Rural (35),  Negra de Sutil (33), Serra de Apon (32), Rio do Meio (29), João Sura (26),  Paiol da Telha (23), Negra Rural (23), Palmital dos Pretos (22), Vila Esperança (19), Varzeão (17), São Tomé (16), Batuva (15), Castorina Maria da Conceição (12), Bairro dos Roque (12), Limitão (12), Tronco (12), Córrego do Franco (11), Tatupeva (10), Guajuvira (10), Campina dos Morenos (08), Manoel Ciríaco dos Santos (08), Água Morna (08), Rio Verde (07), Faxinal de São João (06),  Porto Velho (06), Barreiro (06), Areia Branca (05), Serra do Apon - Sede (05), Praia do Peixe (05), Tobias Ferreira (04),  Restinga(04), Mamans (03), Cavernoso (03), Aperu (03),  Queimadinhos (02), Faxinal de Santo Antonio (02),  Imbutal (02),  Bebinha (01), Pinheiro Seco (01) e Santa Cruz (01).

Povos Indígenas e Comunidades Tradicionais

O Conselho Estadual de Povos Indígenas e Comunidades Tradicionais do Estado do Paraná abriga grupos culturalmente diferenciados, com formas próprias de organização, ocupando e usando territórios e recursos naturais como condição para a reprodução cultural, social, religiosa, ancestral e econômica, utilizando conhecimentos, inovações e práticas gerados e transmitidos pela tradição.

GALERIA DE IMAGENS

Últimas Notícias