Ação Solidária

Mãos sobrepostas

 

logo_sgas

Apresentação

Instituída pelo Decreto 2338 de 07 de Agosto de 2019, a Superintendência Geral de Ação Solidária é subordinada à Secretaria de Estado da Justiça, Família e Trabalho – SEJUF, nos termos do art. 12 e inc. IV do art. 8° da Lei no 19.848, de 03 de maio de 2019.

A SGAS tem como uma de suas atribuições a promoção e estímulo à cultura da ação solidária, do engajamento ético e do voluntariado por meio de programas, projetos, ações e iniciativas de mobilização relacionados a prática do bem comum, em suas diversas manifestações, bem como difundir os princípios da ação solidária, do engajamento ético e do voluntariado, identificando projetos, ações e iniciativas que possam ser realizados em conjunto, pelo poder público estadual e municipal, iniciativa privada, entidades do terceiro setor e cidadãos, por meio de parcerias solidárias, visando sobretudo potencializar os benefícios à comunidade paranaense.

 

Ser voluntário é muito mais do que querer ajudar. Um bom voluntário é quem coloca as mãos na massa e não mede esforços para fazer o que se propôs. E, embora não seja uma regra, nem uma exigência para esse tipo de trabalho, a maior parte dos voluntários reúne características em comum que fazem deles alguém com quem se pode contar para qualquer situação.

Competências da SGAS

I - a promoção e estímulo à cultura da ação solidária, do engajamento ético e do voluntariado por meio de programas, projetos, ações e iniciativas de mobilização relacionados a prática do bem comum, em suas diversas manifestações; 

II - o apoio e articulação de esforços em convergência com as diretrizes estabelecidas para implementação dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, utilizando-se da ação solidária integrada como forma de estabelecer parceria entre governo estadual e municipal e a sociedade em suas diversas formas de organização; 

III - a identificação de projetos, ações e iniciativas que possam ser realizados em conjunto, pelo poder público estadual e municipal, iniciativa privada, entidades do terceiro setor e cidadãos, por meio de parcerias solidárias, visando potencializar os benefícios à comunidade paranaense; 

IV - a organização de sistema de informações contendo o mapeamento de necessidades ligadas a diferentes causas, direitos e necessidades voltados à preservação da vida e do meio ambiente, à promoção de bem-estar e prosperidade, ao resgate da dignidade de todos os seres vivos, à busca da autossuficiência educacional, econômica e social da população, bem como a identificação de organizações públicas, privadas e integrantes do terceiro setor, e cidadãos dispostos a contribuir, de forma engajada, solidária e voluntária, com a solução de tais necessidades; 

V - a promoção da articulação das ações de órgãos públicos, da academia e de entidades que atuam de forma solidária e voluntária, de modo a propiciar espaços e ambientes favoráveis à discussões de temas emergenciais, à elaboração de estratégias para ampliar o impacto de ações e ao intercâmbio de experiências de sucesso que possam melhorar a realidade atual; 

VI - a proposição de convênios ou acordos, com entidades congêneres e afins, públicas ou privadas, nacionais, estrangeiras ou internacionais, promovendo intercâmbios de mútuo interesse; 

VII - a articulação e estruturação de meios para a realização da aproximação de cidadãos, órgãos e instituições dispostos a atuar de forma solidária, de modo a concretizar ações que tragam benefícios imediatos à comunidade paranaense e alterem positivamente a realidade atual; 

VIII - a criação de mecanismos de monitoramento de planos, projetos e atividades desenvolvidas ou acompanhados pela Superintendência; 

IX - a participação na organização e divulgação de estudos e pesquisas voltadas ao aperfeiçoamento da ação governamental em sua área de atuação. 

A Superintendência Geral de Ação Solidária, em conjunto com órgãos e entidades públicas estaduais, poderá promover, participar e apoiar a realização de eventos contribuam para a viabilização de suas atividades. 

A Superintendência Geral de Ação Solidária poderá participar na promoção de atividades afetas ao seu campo de atuação, em associação com as Prefeituras Municipais. 

 

Atribuições da SGAS

I - planejar, coordenar e executar as atividades descritas no art. 1º deste decreto, compatibilizando-as com as diretrizes gerais do Governo do Estado; 

II - realizar o apoio estratégico ao Governador visando o aprimoramento da gestão governamental em sua área de atuação;

III - difundir os princípios da ação solidária, do engajamento ético e do voluntariado; 

IV - participar da avaliação das ações do Governo relativas a área de atuação da Superintendência;

V - solicitar, ao Governador do Estado, as providências visando a promoção de medidas tendentes a propiciar e manter a eficiência e o bom funcionamento das atividades da Superintendência; 

VI - firmar convênios e articular-se visando a promoção e aperfeiçoamento das atividades desenvolvidas pela Superintendência, observadas as diretrizes estabelecidas para o setor; 

VII - participar da representação do Estado junto a instituições oficiais e privadas, nacionais e internacionais, em assuntos atinentes à Superintendência.

 

Decreto Criação SGAS

Competências do CAS

I - elaborar e propor para aprovação do Superintendente Geral de Ação Solidária seu regimento interno. 

II - estabelecer e elaborar, em conjunto com a Secretaria de Estado da Justiça, Família e Trabalho, as propostas, projetos e programas governamentais para emprego de recursos públicos destinados ao assistencialismo. 

III - promover o desenvolvimento de estudos, debates e pesquisas sobre as matérias de competência da Superintendência Geral de Ação Solidária. 

IV - despertar a consciência de todos os setores da sociedade paranaense para a realidade, necessidades e potencialidades de ações solidárias. 

V - promover, em conjunto com a Secretaria de Estado da Justiça, Família e Trabalho, campanhas de conscientização e programas educativos, particularmente junto a órgãos públicos e instituições de assistência social, públicas e privadas, empresas, veículos de comunicação, sobre a necessidade de ações solidárias. 

VI - zelar pelos interesses e direitos inerentes às pessoas em situação de vulnerabilidade; 

VII - promover entendimentos e intercâmbios com organizações e instituições que tenham objetivos comuns aos deste Conselho. 

VIII - incentivar a constituição de conselhos municipais com atribuições e composição análogas às estabelecidas no presente Decreto. 

IX - emitir pareceres opinativos, quando solicitado, para as tomadas de decisões do Superintendente Geral de Ação Solidária.

 

Composição do CAS

I - um representante da Governadoria; 

II - um representante da Casa Civil; 

III - um representante da Secretaria da Justiça, Família e Trabalho; 

IV - um representante da Superintendência Geral de Ação Solidária; 

V - três representantes da sociedade civil convidados pelo Superintendente Geral de Ação Solidária.

 

Decreto Criação CAS

Decreto Composição do Conselho - CAS

Decreto de alteração de Composição do Conselho - Agosto/2020

Decreto de alteração de Composição do Conselho - Setembro/2020

  PROJETOS ESPECIAIS

 

Logo Prêmio

O PROJETO

O Prêmio Ação Solidária Paraná é um concurso de atividades solidárias e voluntárias realizadas no âmbito da pandemia do COVID-19. É fruto de uma campanha desenvolvida pela Superintendência Geral de Ação Solidária, de natureza simbólica, que busca valorizar nobres projetos sociais realizados por instituições do terceiro setor durante o enfrentamento da pandemia, concedendo oportunidade de reconhecimento e possibilitando mostrarem suas atividades e adquirirem visibilidade para suas causas. A proposta é valorizar projetos que atuaram e instituições que se reinventaram no período da crise.

Tem, pois, como premissa básica, o incentivo ao engajamento, responsabilidade cívica e social e a participação cidadã através do voluntariado, de forma articulada entre o Governo, sociedade civil e o setor privado.

O “Prêmio Ação Solidária Paraná: práticas de solidariedade durante a crise” tem como objetivo principal fortalecer o terceiro setor paranaense e promover a valorização e a divulgação de iniciativas já realizadas com sucesso pelas organizações durante o período de pandemia do coronavírus.

 

DA PREMIAÇÃO

As iniciativas vencedoras de cada categoria na etapa final serão agraciadas com o troféu “Prêmio Ação Solidária Paraná” e certificado de reconhecimento, emitido pela Superintendência Geral de Ação Solidária.

Os responsáveis pelas iniciativas vencedoras poderão ser convidados, num período de até 1 (um) ano após a premiação, a participar de eventos e ou missões organizadas  pela Superintendência Geral de Ação Solidária e eventuais parceiros, com o objetivo de valorizar, incentivar e disseminar  atividades de voluntariado.

 

Saiba mais

 

Logo PR Piá

Campanha Paraná Piá arrecadou brinquedos para o Dia das Crianças

 

Iniciativa da Superintendência Geral de Ação Solidária (SGAS) buscou arrecadar brinquedos, novos ou usados (em bom estado), para serem distribuídos em comemoração ao Dia das Crianças. Os brinquedos foram doados a crianças de 0 a 12 anos, internadas ou em tratamento ambulatorial pelo SUS.

Fazer a criança do Paraná mais feliz. É com esse objetivo que o Governo do Estado lançou a campanha solidária Paraná Piá. A iniciativa da Superintendência Geral de Ação Solidária (SGAS) buscou arrecadar brinquedos, novos ou usados (em bom estado), para serem distribuídos em comemoração ao Dia das Crianças, em 12 de outubro de 2020.

Os presentes foram doados a crianças de 0 a 12 anos, internadas ou em tratamento ambulatorial pelo Sistema Único de Saúde (SUS), dentro da rede de hospitais do Paraná.

Primeira-dama do Estado e presidente do Conselho de Ação Solidária, Luciana Saito Massa explicou que a proposta da campanha foi convidar tanto servidores públicos quanto a sociedade civil a praticar a solidariedade, fazendo com que o maior número de pequenos paranaenses recebesse ao menos um presente no Dia das Crianças.

“Durante o período de internação ou qualquer tratamento de saúde, o impacto emocional é muito grande, principalmente em tempos de pandemia. Diante de toda a fragilidade desse momento, é a solidariedade de todos que vai fazer a diferença na campanha Paraná Piá”, afirmou Luciana. “A campanha é para que nossas crianças, o nosso bem maior, possam continuar a sonhar e sorrir e nos trazer cada vez mais a esperança de um futuro melhor”, acrescentou ela.

DRIVE THRU – A ação contou com a parceria da Secretaria de Estado da Saúde, Defesa Civil Estadual e Superintendência de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior. Além disso, para impulsionar a campanha foram escolhidos quatro padrinhos: João Carlos Ortega, secretário de Estado do Desenvolvimento Urbano e Obras Públicas; Leandro Moura, diretor-presidente da Celepar; Raul Siqueira, controlador-geral do Estado; e Valdemar Bernardo Jorge, secretário de Planejamento e Projetos Estruturantes.

ARRECADAÇÃO - A arrecadação começou no dia 11 de setembro, sob coordenação de João Carlos Ortega. Das 13h às 16h o ponto de coleta de brinquedos para crianças de 0 a 2 anos funcionou no sistema Drive Thru, em frente ao Palácio Iguaçu, em Curitiba.

As doações podiam ser feitas até o dia 4 de outubro, nas Coordenadorias Estaduais da Defesa Civil espalhadas pelo Paraná. Pela manhã, das 8h as 11h30, e à tarde, das 13h30 às 17h30.  Os servidores públicos ainda tiveram a opção de fazer a doação diretamente nos órgãos em que estão vinculados.

“Tenho três crianças em casa, sei o quanto elas precisam de atenção e de cuidado. Me sinto honrado por ser padrinho dessa bela campanha que irá levar emoção, carinho e alegria para as crianças que mais precisam no Estado”, ressaltou Bernardo Jorge.

“Serão brinquedos destinados às crianças que neste momento precisam de atenção e do nosso cuidado”, completou o controlador-geral do Estado, Raul Siqueira.

Diretor-presidente da Celepar, Leandro Moura lembrou que o órgão tem se destacado nas campanhas de arrecadação organizadas pela Superintendência Geral de Ação Solidária. “É nos momentos mais delicados que evidenciamos a nossa força. A Celepar novamente vai participar desta ação solidária, mostrando que a tecnologia também é humana”, disse ele.

“Nossos colaboradores já foram solidários em outras campanhas este ano, doando máscaras para atuação comunitária em favelas, arrecadando alimentos e também itens de vestuário. Agora, desejamos trazer um momento especial de alegria para as crianças”, acrescentou.

 

Links de matérias

Matéria publicada na Agência Estadual de Notícias em 10/09/2020                    

Matéria publicada na Agência Estadual de Notícias em 11/09/2020                   

Matéria publicada na Agência Estadual de Notícias em 14/09/2020                   

Matéria publicada na Agência Estadual de Notícias em 21/09/2020                   

Matéria publicada na Agência Estadual de Notícias em 26/09/2020

 

Galeria de fotos

Galeria 01                    Galeria 02

 

Primeira Dama do Estado Luciana Saito Massa observa colaboradores realizando entrega de brinquedos para a Campanha Paraná Piá

 Foto: Jose Fernando Ogura/AEN

Fila de carros para realizar entrega de brinquedos para a Campanha Paraná Piá

Foto: Jose Fernando Ogura/AEN 

Pilha de brinquedos em frente ao caminhão da Defesa Civil do Paraná

Foto: Jose Fernando Ogura/AEN  

 

 

Logo Cesta Solidária Paraná

 

150 toneladas de alimentos arrecadados pelo Cesta Solidária Paraná foram distribuídos à população paranaense

Campanha promovida pela Superintendência Geral de Ação Solidária do Governo do Estado, em parceria com outros poderes e instituições, arrecadou 150 toneladas de alimentos. Caminhões com os mantimentos realizaram a entrega a famílias em situação de vulnerabilidade social de todo o Paraná, que foram ainda mais impactadas pela pandemia do novo coronavírus.

Caminhões lotados de mantimentos partiram com carga que tinham destino certo: as mesas de famílias paranaenses impactadas pela pandemia do novo coronavírus. As cestas básicas foram doadas na campanha Cesta Solidária Paraná, que arrecadou 150 toneladas de alimentos.

A campanha fez parte da força-tarefa Menos Eu, Mais Nós, da Superintendência Geral de Ação Solidária do Governo do Estado, promovida entre os dias 18 e 27 de maio de 2020 em parceria com a Assembleia Legislativa, o Tribunal de Justiça, Ministério Público e o Tribunal de Contas do Estado. A Federação das Indústrias do Estado do Paraná (Fiep) e empresas paranaenses também contribuíram com as doações.

Ao longo da semana, servidores públicos e toda a sociedade se mobilizaram para entregar os alimentos e produtos de higiene e limpeza através de um sistema de drive-trhu, montado em diferentes cidades paranaenses.

Para a primeira-dama Luciana Saito Massa, que preside o Conselho de Ação Solidária, a doação de cada um foi fundamental para arrecadar uma quantidade significativa de alimentos, que fará a diferença na mesa das famílias mais vulneráveis. “Quero agradecer a cada um que fez parte, doou e ajudou a organizar e receber esses alimentos. Finalizamos essa campanha com um sucesso enorme”, disse.

 

DISTRIBUIÇÃO – A distribuição dos alimentos foi realizada pela Coordenadoria Estadual da Defesa Civil, começando pelos municípios da Região Metropolitana de Curitiba. Após, as cestas básicas seguiram para o Interior, para serem entregues a famílias de todo o Paraná. Boa parte dos caminhões partiram rumo às regionais da Defesa Civil, que serão responsáveis pela distribuição nos municípios.

O chefe da Divisão de Gestão de Desastres da Defesa Civil, major Daniel Lorenzetto, que participou da distribuição das doações, destacou que o trabalho é feito a muitas mãos. “Logo que a arrecadação finalizou, iniciamos o processo de separação e distribuição das cestas, que contemplaram famílias do Paraná inteiro”, disse. “Várias equipes fizeram as entregas nos municípios, organizando a logística de transporte e a distribuição nas casas”, explicou.

 

COMIDA NA MESA – Na sexta-feira (28/05), a entrega foi feita a famílias de Agudos do Sul, na Região Metropolitana de Curitiba, e chegou até a casa de José Roberto da Silva, de 58 anos, para alimentar ele, a esposa e o neto de oito anos. A cesta básica foi um alento, já que Silva está há dois anos sem trabalhar, depois de um acidente que comprometeu sua coluna.

A dificuldade de pôr comida na mesa ficou ainda maior com a pandemia do novo coronavírus. “A cesta chegou em um momento que a gente estava precisando. Eu e minha mulher cuidamos do nosso neto desde pequeno e desde a cirurgia que fiz na coluna dependemos da ajuda de outras pessoas”, conta. “É uma ação muito bonita, as pessoas que têm mais condições estão ajudando quem precisa. A gente precisa muito, é dessa forma que a gente consegue comer”, disse.

 

AFETADOS – Além das famílias em situação de vulnerabilidade social, muitas pessoas que tinham trabalho viram sua renda diminuir por causa da pandemia e também serão beneficiadas pelas cestas básicas.

“Há cerca de três meses, famílias que não precisariam dessa ajuda, hoje estão em dificuldades. São pessoas que tinham seus empregos, comércio e vendedores ambulantes que precisam ser assistidas com a cesta básica e outros benefícios. A demanda é muito grande”, afirmou o coordenador do Centro de Referência de Assistência Social (Cras) de Agudos do Sul, Claudinei Hitnak.

É o caso do autônomo Paulo Fernandes da Silva, de 34 anos, que trabalha como corretor imobiliário, mas viu os clientes diminuírem nos últimos meses. “Estou evitando sair de casa e não posso levar os clientes para visitar os imóveis, deu uma enfraquecida muito drástica”, contou. “Para nós é uma ajuda imensa, só minha esposa está trabalhando e também diminuíram a carga horária e o salário dela. A cesta básica vem em boa hora, por causa da situação que estamos”, completou.

 

Link de matérias

Matéria do Ministério Público do Paraná publicada em 14/05/2020

Matéria da Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Obras Públicas publicada em 16/05/2020

Matéria da Agência Estadual de Notícias publicada em 18/05/2020

Matéria do Tribunal de Justiça do Paraná publicada em 18/05/2020

Matéria da Coordenadoria Estadual da Defesa Civil publicada em 18/05/2020

Matéria da Controladoria Geral do Estado do Paraná publicada em 19/05/2020

Matéria da Agência Estadual de Notícias publicada em 31/05/2020

Matéria da Coordenadoria Estadual da Defesa Civil publicada em 03/06/2020

 

Galeria de fotos

Galeria 01

 

Galeria de vídeos

Vídeo 01

 

Áudio notícias

Áudio 01                    Áudio 02

 

Um dos beneficiados pelo  Cesta Solidária Paraná foi o autônomo Paulo Fernandes da Silva, de 34 anos, que trabalha como corretor imobiliário, mas viu os clientes diminuírem nos últimos meses. “Estou evitando sair de casa e não posso levar os clientes para visitar os imóveis, deu uma enfraquecida muito drástica”, contou. “Para nós é uma ajuda imensa, só minha esposa está trabalhando e também diminuíram a carga horária e o salário dela. A cesta básica vem em boa hora, por causa da situação que estamos”, completou.

 

 

 
Logotipo campanha

Aplicativo direcionou doação de roupas e cobertores

 

A proposta da campanha Aquece Paraná, é que as pessoas doem os produtos sem precisar sair de casa, usando o aplicativo Paraná Solidário.

A chegada do inverno em meio à pandemia do novo coronavírus transformou a dinâmica de arrecadação de roupas, calçados e cobertores neste ano no Estado. A campanha Aquece Paraná começou oficialmente na quarta-feira (24/06) e incentiva as doações sem que haja necessidade de sair casa. Tudo pode ser feito pelo celular, usando o aplicativo Paraná Solidário.

A primeira-dama Luciana Saito Massa, que preside o Conselho de Ação Solidária, apresentou a campanha no jornal Paraná no Ar, da RIC Record TV. O grupo de comunicação é parceiro da Superintendência Geral de Ação Solidária do Governo do Estado na ação, que busca proteger a população em situação de vulnerabilidade, que sofre com o inverno rigoroso do Paraná.

“Estamos passando por um momento muito delicado, em que a recomendação é ficar em casa. Por isso pensamos em uma campanha que fosse segura, inovadora e solidária”, disse Luciana. “Pelo aplicativo, os cidadãos podem doar diretamente às entidades beneficentes, sem precisar sair de casa”.

Podem ser doados roupas, calçados, cobertores, roupas de cama e qualquer outro item que tenha em casa, desde que em bom estado. É importante também que seja feita uma higienização antes de entregar os produtos para as instituições sociais. “Estamos passando bastante tempo em casa. É um bom momento de fazer uma limpa, organizar o armário e, o que não precisar mais, pode ir para a doação”, ressaltou Luciana.

AQUECE PARANÁ – Para participar, basta acessar a página www.aqueceparana.pr.gov.br, apontar a câmera do celular para o código QR Code que aparece na tela e fazer o download do aplicativo, que está disponível gratuitamente para os sistemas Android e iOS.

Ao abrir a ferramenta, é preciso fazer um cadastro de doador. Assim que fizer o login, o usuário é direcionado diretamente para as doações do Aquece Paraná, podendo escolher a categoria do produto a ser doado: agasalhos ou cobertores.

Os doadores devem descrever e adicionar fotos dos produtos e confirmar o envio. O aplicativo mostra então as instituições mais próximas que precisam daquela doação. O contato com a entidade para acertar os detalhes sobre a entrega é feito pela própria ferramenta.

PARANÁ SOLIDÁRIO – Criado pela Celepar (Companhia de Tecnologia da Informação e Comunicação do Paraná), a pedido da Secretaria de Estado da Justiça, Família e Trabalho, o Paraná Solidário é o primeiro aplicativo do País que faz a ponte entre pessoas que querem doar e as entidades que precisam daquele produto.

Além dos agasalhos, diversos outros itens podem ser entregues a instituições que atendem idosos, crianças e pessoas com deficiência, entre outros grupos vulneráveis. Pela ferramenta, é possível fazer a doação de alimentos, serviços voluntários, materiais de higiene e limpeza, de escritório, móveis, eletrodomésticos e eletroeletrônicos.

Atualmente, 570 entidades de todo o Estado estão cadastradas para receberem as doações. “Mas é importante que mais instituições façam esse cadastro. Logo ao baixar a ferramenta, da mesma forma que é feito com os doadores, as entidades só precisam seguir os passos e preencher algumas informações”, explica André Telles, assessor de Inovação da Celepar.

 

Link de matérias

Matéria da Agência Estadual de Notícias publicada em 24/06/2020

Matéria da Agência Estadual de Notícias publicada em 31/07/2020

Matéria da Agência Estadual de Notícias publicada em 10/09/2020

 

Galeria de fotos

Galeria 01                    Galeria 02                    Galeria 03

 

Áudio notícias

Áudio 01                      Áudio 02                       Áudio 03

 

Galeria de vídeos

Vídeo 01

 

A chegada do inverno em meio à pandemia do novo coronavírus vai transformar a dinâmica de arrecadação de roupas, calçados e cobertores neste ano no Estado. A campanha Aquece Paraná começou oficialmente nesta quarta-feira (24) e vai incentivar as doações sem que haja necessidade de sair casa. Tudo pode ser feito pelo celular, usando o aplicativo Paraná Solidário. A primeira-dama Luciana Saito Massa, que preside o Conselho de Ação Solidária, apresentou a campanha no jornal Paraná no Ar, da RIC Record TV.

Foto: Jose Fernando Ogura

A chegada do inverno em meio à pandemia do novo coronavírus vai transformar a dinâmica de arrecadação de roupas, calçados e cobertores neste ano no Estado. A campanha Aquece Paraná começou oficialmente nesta quarta-feira (24) e vai incentivar as doações sem que haja necessidade de sair casa. Tudo pode ser feito pelo celular, usando o aplicativo Paraná Solidário. A primeira-dama Luciana Saito Massa, que preside o Conselho de Ação Solidária, apresentou a campanha no jornal Paraná no Ar, da RIC Record TV.

Foto: Jose Fernando Ogura 

A chegada do inverno em meio à pandemia do novo coronavírus vai transformar a dinâmica de arrecadação de roupas, calçados e cobertores neste ano no Estado. A campanha Aquece Paraná começou oficialmente nesta quarta-feira (24) e vai incentivar as doações sem que haja necessidade de sair casa. Tudo pode ser feito pelo celular, usando o aplicativo Paraná Solidário. A primeira-dama Luciana Saito Massa, que preside o Conselho de Ação Solidária, apresentou a campanha no jornal Paraná no Ar, da RIC Record TV.

 Foto: Jose Fernando Ogura 

 

Logotipo Voluntariado

Interessado, comprometido e cheio de vontade de viver novas experiências. Essas são apenas algumas das características do voluntário deve ter. Se você está pensando em embarcar na aventura do voluntariado, confira nossas dicas:

Ser voluntário é muito mais do que querer ajudar. Um bom voluntário é quem coloca as mãos na massa e não mede esforços para fazer o que se propôs. E, embora não seja uma regra, nem uma exigência para esse tipo de trabalho, a maior parte dos voluntários reúne características em comum que fazem deles alguém com quem se pode contar para qualquer situação.

Se você está interessado em se tornar um voluntário e quer saber se possui esses atributos, dá uma olhada na lista que preparamos com o perfil que voluntários devem ter:

 

 

10 características que os voluntários devem ter:

01 - TRABALHO EM EQUIPE

Dificilmente o trabalho em projetos sociais será feito por uma única pessoa. A coletividade é uma característica desse tipo de trabalho e para atuar em um deles é fundamental saber trabalhar em equipe. Para isso, é necessário ter disciplina e humildade para entender que cada pessoa é diferente e que a união de todas é que faz a diferença.

02 - INICIATIVA

Fazer o que mandam é importante, mas ter iniciativa e perceber o que está além das suas tarefas é uma característica que faz toda a diferença num voluntariado. Ser proativo garante um resultado melhor em qualquer atividade. Por isso, esteja sempre atento e não espere alguém mandar para tomar uma atitude que vai ajudar no trabalho de todo mundo.

03 - COMUNICAÇÃO

Diálogo é o primeiro passo para garantir que tudo ocorra bem. Esclareça dúvidas, como horário de trabalho, funções em que vai atuar, quem serão as pessoas que vão trabalhar com você. Lembre-se de conversar sempre que achar necessário para entender a necessidade do projeto. Isso evita muitos problemas e facilita a vida de todo mundo.

04 - MOTIVAÇÃO

Se você resolve fazer um trabalho voluntário é porque está motivado a ajudar outras pessoas. Por isso, leve essa motivação sempre com você. Voluntários são persistentes e não desistem no primeiro obstáculo. Nem sempre o trabalho vai ser fácil, por isso é preciso estar disposto a encarar o que vem pela frente.

05 - EMPATIA

Essa é uma das mais importantes características do voluntário. Mais do que oferecer ajuda, é preciso saber se colocar no lugar do outro. Ser voluntário não é ser superior a ninguém, muito pelo contrário. É preciso reconhecer a humanidade em todos que cruzarem com você.

06 - COMPROMETIMENTO

Fazer o que é solicitado, chegar no horário, levar a sério o trabalho. Bons voluntários são comprometidos. Pode ser que você esteja em período de férias, mas você se comprometeu a trabalhar naquele projeto e as pessoas contam com isso. Por isso, cumpra sua promessa da melhor forma possível.

07 - DISPONIBILIDADE

Além de comprometido, um voluntário também deve ser disponível. Seja para fazer o que foi solicitado ou para ir além das tarefas diárias. Nesse sentido, é importante estar 100% lá para o que for preciso se você quiser realmente fazer alguma diferença.

08 - RESPEITO

Respeitar as pessoas, os locais, as crenças, o que for, é outra importante característica de um voluntário. Um bom voluntário sabe que cada lugar possui uma cultura diferente da sua e todos precisam ser tratados com o maior respeito possível. Igualmente, é preciso respeitar as regras estabelecidas pelas pessoas que vão lhe receber para garantir uma boa convivência com todos.

09 - ESTAR ABERTO À TODAS AS EXPERIÊNCIAS

Ser um voluntário é viver uma experiência única e inesquecível. Por isso, durante o tempo que estiver atuando, esteja aberto a viver tudo que essa experiência lhe proporcionar. Aproveite para conhecer idiomas, lugares, culturas, religiões, pessoas. Mostre às pessoas que você está realmente interessado em viver aquilo tudo e permita que eles sejam seus guias nessa descoberta maravilhosa.

Vale lembrar que ninguém nasce com todas essas características, mas elas podem ser desenvolvidas com tempo e com algum esforço. Com boa vontade, qualquer pessoa pode se tornar um bom voluntário.

10 - RESILIÊNCIA

Ser resiliente é ter a capacidade de se adaptar a novos lugares e novas culturas. O conhecimento adquirido nunca é uma via de mão única: ao mesmo tempo que você aprende com novas pessoas, também deixa um pouco do seu conhecimento com elas.

Contribuição do texto: https://exchangedobem.com/

 

O que é ser um Voluntário Paraná??

 

Segundo definição das Nações Unidas, "voluntário é o jovem ou o adulto que, devido a seu interesse pessoal e ao seu espírito cívico, dedica parte do seu tempo, sem remuneração alguma, a diversas formas de atividades, organizadas ou não, de bem estar social, ou outros campos..."

Em estudo realizado na Fundação Abrinq pelos Direitos da Criança, definiu-se o voluntário como ator social e agente de transformação, que presta serviços não remunerados em benefício da comunidade; doando seu tempo e conhecimentos, realiza um trabalho gerado pela energia de seu impulso solidário, atendendo tanto às necessidades do próximo ou aos imperativos de uma causa, como às suas próprias motivações pessoais, sejam estas de caráter religioso, cultural, filosófico, político, emocional.

Quando nos referimos ao voluntário contemporâneo, engajado, participante e consciente, diferenciamos também o seu grau de comprometimento: ações mais permanentes, que implicam em maiores compromissos, requerem um determinado tipo de voluntário, e podem levá-lo inclusive a uma "profissionalização voluntária"; existem também ações pontuais, esporádicas, que mobilizam outro perfil de indivíduos.

Ao analisar os motivos que mobilizam em direção ao trabalho voluntário, descobrem-se, entre outros, dois componentes fundamentais: o de cunho pessoal, a doação de tempo e esforço como resposta a uma inquietação interior que é levada à prática, e o social, a tomada de consciência dos problemas ao se enfrentar com a realidade, o que leva à luta por um ideal ou ao comprometimento com uma causa.

Altruísmo e solidariedade são valores morais socialmente constituídos vistos como virtude do indivíduo. Do ponto de vista religioso acredita-se que a prática do bem salva a alma; numa perspectiva social e política, pressupõe-se que a prática de tais valores zelará pela manutenção da ordem social e pelo progresso do homem. A caridade (forte herança cultural e religiosa), reforçada pelo ideal, as crenças, os sistemas de valores, e o compromisso com determinadas causas são componentes vitais do engajamento.

Não se deve esquecer, contudo, o potencial transformador que essas atitudes representam para o crescimento interior do próprio indivíduo.

Fonte: "Trabalho Voluntário" - Mónica Corullón

 

LEGISLAÇÃO PERTINENTE

Nacional

Lei nº 9.608, de 18 de fevereiro de 1998

Lei nº 7.352, de 28 de agosto de 1985

Decreto nº 9.906, de 9 de julho de 2019

 

Estadual

Lei nº 9.315, de 10 de julho de 1990

 

   Contato

Superintendência Geral de Ação Solidária - SGAS
Palácio das Araucárias - Rua Jacy Loureiro de Campos s/n° - 4° Andar - Ala A
80.530-915 - Centro Cívico - Curitiba - PR
sgas@sejuf.pr.gov.br

(41) 3210-2955, (41) 3210-2945, (41) 3210-2941, (41) 3210-2938

Horário de atendimento: 08h30 às 12h e 13h30 às 18h

Estamos trabalhando em sistema de atendimento virtual. Para entrar em contato utilize o link abaixo.

Acesse nossas Redes Sociais

 

 

 

 

 Fale conosco