Mulheres em Situação de Violência e a Dependência Química


Em nosso centro, existe um grande número de mulheres que sofrem violência doméstica devido ao uso excessivo, pelos seus companheiros, maridos ou filhos de substâncias como álcool e também vários tipos de drogas.
Muitas mulheres sentem-se em grande conflito porque percebem que o usuário de álcool ou drogas, quando sóbrio, não as tratam com violência.
Uma pessoa que sofre da dependência química é de fato, doente, porém, essa doença tem várias formas de tratamento, inclusive sem necessitar internamento.
A recusa ao tratamento, apesar de ser um dos sintomas da dependência química, leva, muitas vezes a mulher a submeter-se a situações de perigo de vida, humilhações e outras situações desumanas.
A mulher tem direito de separar-se do homem que bebe, assim como tem direito de separar-se de um homem que não bebe ou use drogas. A dependência química ou o alcoolismo não isenta o homem de responsabilidades com os filhos ou com a casa. Em caso de separação ele tem os mesmo deveres dos outros homens e a mulher também tem os mesmos direitos.
O alcoolismo ou o uso de drogas não devem ser justificativas para agressões. Muitas vezes, depois de recuperado do efeito do álcool o homem pede desculpas, passa um período sem fazer uso de álcool, mas fatalmente acaba recaindo, pois é a manifestação da doença.
Esse círculo de recaídas e melhoras, muitas vezes, acaba prendendo a mulher na situação que acaba adoecendo também, ou seja, alimenta desta forma o comportamento de repetição do usuário de álcool e drogas, pois não sabe quando vai acontecer uma nova recaída e entra em situações de stress, depressão e outros quadros de transtornos emocionais.
A tendência destes quadros, geralmente é piorar muito, de maneira a chegar a extremos de o agressor não trabalhar mais e chegar a vender coisas da casa para comprar drogas.
Assim, é importante que antes da situação se agravar, a mulher se informe sobre como fazer, e também tente, sem medo, descobrir o que realmente deseja fazer, já que muitas vezes, um tratamento pode mudar o futuro do casal, principalmente quando feito no início, nas primeiras crises, nos primeiros sinais de excesso de álcool ou de uso de drogas.
Promessas não são tratamento. É necessária a ajuda profissional para que a dependência química possa ser controlada. Sem ajuda profissional é muito raro obter sucesso contra o álcool e drogas.
Informe-se !


EVALNETE RODRIGUES
PSICÓLOGA
CRP 08/09578