18 de maio tem ações em todo o estado
17/05/2019 - 14:50

 

Como parte das ações do Dia Nacional de Enfrentamento ao Abuso e à Exploração Sexual, a Secretaria da Justiça, Família e Trabalho participará da Marcha para Jesus neste sábado, com um stand de informação e conscientização no Centro Cívico, em Curitiba, para divulgação da Força-Tarefa Infância Segura. O evento começa às 9h, e os trabalhos no stand vão até as 17h.

Também integrantes da Força-Tarefa Infância Segura, o Núcleo de Proteção à Criança e ao Adolescente (Nucria) e o Serviço de Investigação de Crianças Desaparecidas (Sicride), ambos da Polícia Civil do Paraná , farão um evento de conscientização da população sobre a importância de combater crimes contra a criança. Uma tenda no Parque Barigui promoverá atividades de recreação para as crianças e pais.

A Secretaria também está reforçando em suas redes sociais o canal de denúncias do Governo do Paraná, o 181.

Além disso, os escritórios regionais da Sejuf, em parceria com as prefeituras e as redes municipais de educação e a de proteção, estão promovendo ações de conscientização durante todo o mês de maio, como palestras e oficinas nas escolas municipais, passeatas e outras atividades.

E esta semana, para comemorar o Dia da Família, a Sejuf promoveu uma palestra do procurador de Justiça Olympio de Sá Sotto Maior Neto, que abordou a importância das ações de proteção à criança e ao adolescente.

*Não engula o choro* – De acordo com deliberação do Conselho Estadual dos Direitos da Criança e do Adolescente (Cedca), está prevista a reedição da campanha Não Engula o Choro, com a distribuição de material de conscientização e a veiculação de vídeos informativos.

Lançada em 2018, a campanha foi um sucesso e ultrapassou a marca de 1,3 milhão de visualizações na internet.

 


BOX

 

Data foi criada em memória a menina capixaba violentada e morta em 1973

O Dia Nacional de Enfrentamento ao Abuso e à Exploração Sexual foi instituído em memória de Araceli Cabrera Sánchez Crespo, morta aos oito anos de idade no dia 18 de maio de 1973, na cidade de Vitória, capital do Espírito santo.  Num crime bárbaro, que chocou todo o país e ficou conhecido como o “Caso Araceli”, a menina que teve todos os seus direitos humanos violados e foi raptada, violentada e morta por jovens de classe média alta daquela cidade.

O objetivo da data é mobilizar, sensibilizar, informar e convocar toda a sociedade a participar da luta em defesa dos direitos sexuais de crianças e adolescentes, garantindo a toda criança e adolescente o direito ao desenvolvimento de sua sexualidade de forma segura e protegida, livres do abuso e da exploração sexual.

GALERIA DE IMAGENS

Últimas Notícias