Empresa contrata migrantes por meio do Ceim-PR
07/11/2019 - 16:51

Migrante
 

“Vim para Curitiba por recomendação de amigos que já estavam aqui. Gostamos muito da cidade e do povo”

Ramon Miguel, 25 anos, venezuelano

 

Dezenas de migrantes e refugiados, especialmente venezuelanos, estiveram nesta quinta-feira no Centro de Informação para Migrantes Refugiados e Apátridas do Paraná (Ceim-PR), vinculado à Secretaria de Justiça, Família e Trabalho do Governo do Paraná, em busca de uma oportunidade de emprego. A empresa Cia. Verde Logística, de Araucária, está selecionando até esta sexta-feira candidatos a para 62 vagas abertas exclusivamente para migrantes estabelecidos na capital paranaense.

“A empresa já tem seis venezuelanos em seu corpo de funcionários, e a dedicação deles foi tão impressionante que a direção resolveu dar oportunidade a outros migrantes”, explica Patricia Victorino, analista de Recrutamento e Seleção da Cia Verde. São 60 vagas para motorista carreteiro, com necessidade de carteira de habilitação letra “E”, e duas vagas para auxiliar de mecânico de caminhão.

Dentre os postulantes a uma oportunidade estava Victor Alcantara, 42 anos, venezuelano de Ciudad Guayana, que há três meses está em Curitiba e ainda não conseguiu um emprego. Também venezuelano, mas de Caracas, Luiz Mendible já vive na capital paranaense há dois anos, com sua mulher e filhas. “Tenho um emprego atualmente, mas esta proposta da Cia Verde é mais interessante financeiramente e com carteira assinada, o que nos dá mais segurança no futuro”.

Ramon Miguel, 25 anos, também deixou a Venezuela há dois anos, mas primeiramente foi a Lima, no Peru. Devido à falta de oportunidades no país, escolheu Curitiba para um novo recomeço junto de sua mãe, esposa e filha.  “Vim para cá por recomendação de amigos que já estavam aqui. Gostamos muito da cidade e do povo”, disse. Como sempre trabalhou como motorista, está esperançoso em conquistar uma das vagas. “Espero conseguir trabalhar e ter estabilidade”.

Não apenas venezuelanos estão atrás de uma oportunidade. Muitos migrantes de outras etnias compareceram ao Ceim – como o angolano David Poba da Conceição, 39 anos. Vindo de Loanda há 8 meses com sua esposa Benedita, tiveram aqui sua primeira filha, Lys, de apenas 3 meses. “O primeiro sonho de quem chega aqui é conseguir um emprego e trabalhar, para poder se estabelecer realmente”.

Compromisso - O governo Ratinho Junior tem a área social como prioridade, o que inclui o atendimento aos migrantes e refugiados. O número de atendimentos no Ceim tem aumentado consideravelmente, e apenas em 2019 já foram mais de 5 mil atendimentos. “Por isso reforçamos o compromisso da nossa gestão em qualificar os atendimentos dos profissionais para receber as famílias que vêm em busca de uma nova vida, de novas oportunidades. E que outras empresas mirem-se neste exemplo”, disse o secretário da Justiça, Família e Trabalho, Ney Leprevost.

Entrevistas - O processo seletivo prossegue nesta sexta-feira, das 9h às 16h, no Centro Estadual de Informação para Migrantes, Refugiados e Apátridas do Paraná, localizado na Rua Desembargador Westphalen, n° 15, no Edifício Dante Alighiere, 13° andar- Centro, Curitiba-PR (próximo à Praça Zacarias).

 

Migrantes

 

GALERIA DE IMAGENS