Centro de Referência de Atendimento à Mulher em Situação de Violência completa 15 anos de atendimento às mulheres vítimas de agressões
25/05/2021 - 17:25

O Centro de Referência de Atendimento à Mulher em Situação de Violência (CRAM), vinculado ao Departamento de Garantias dos Direitos da Mulher da Secretaria de Justiça, Família e Trabalho, completou, em 2021, 15 anos de atendimento às mulheres vítimas de agressões.

O principal objetivo do CRAM é dar um novo sentido à vida das mulheres, realizando o acolhimento e atendimento humanizado.

Uma das ações implementadas pelo Departamento de Garantias dos Direitos da Mulher durante a gestão do secretário Ney Leprevost, foi intensificar o atendimento nos municípios através de unidades móveis, chamadas de Ônibus Lilás. “Somente no ano de 2019 foram 1.639 atendimentos em 98 municípios. São espaços preparados e equipados para circular de forma itinerante e com atendimento individual, sigiloso e humanizado para garantir a privacidade das vítimas”, disse Mara Sperandio, chefe do Departamento de Garantias dos Direitos da Mulher da Sejuf.

Segundo relatório feito pelo próprio Cram, nesses 15 anos foram recebidas 3.506 mulheres, contabilizando 28.364 atendimentos. A faixa etária das mulheres está entre 30 e 45 anos e a grande maioria é provedora no sustento do núcleo familiar. As principais violências registradas são a verbal e a física. Somente no primeiro trimestre de 2021 houve um aumento de quase 50% de ocorrências se comparado ao ano anterior. Esse ano, já foram 29 novos casos e gerados 220 atendimentos de caráter psicológico, social e jurídico. Já em 2020, foram registrados 55 casos no total, com 503 atendimentos abertos.

“O centro proporciona atendimento psicológico e social, além de orientação e encaminhamentos jurídicos necessários à superação da situação de violência, contribuindo para o fortalecimento dessas mulheres”, esclareceu a coordenadora do CRAM, Walquiria Onete Gomes.

Na forma presencial, o CRAM segue os atendimentos mediante agendamento de horário, feito pelo telefone 41 3338.1832 das 13h às 17h.

Os canais para denúncia são os telefones 180 (nacional) e 181 (estadual), que funcionam 24 horas por dia.

(Via assessoria de imprensa – Tamara Dalcanale).

GALERIA DE IMAGENS