Ratinho Junior e Ney Leprevost anunciam maior salário mínimo regional do País para 2022
13/01/2022 - 13:51

Na gestão do Governo Ratinho Junior, o Paraná continuará em 2022 com o maior salário mínimo regional do País. Os valores foram definidos nesta quarta-feira durante a reunião do Conselho Estadual de Trabalho, Emprego e Renda (CETER) e contou com a intermediação da Secretaria de Justiça, Família e Trabalho. Com o reajuste de 10,16% (o que equivale a 100% do INPC), o piso vai variar entre R$ 1,617 e R$ 1,870 conforme a categoria profissional. O secretário Ney Leprevost destaca que o piso estadual é resultado de uma discussão democrática entre Governo do Estado, os empresários e as centrais que representam os trabalhadores.

“O reajuste do piso é um compromisso do nosso governo em valorizar os trabalhadores e é feito de forma muito democrática”, afirmou o governador Carlos Massa Ratinho Junior. “Essa valorização vai aumentar o poder aquisitivo dos trabalhadores, se refletindo na retomada da economia. O salário mínimo do Paraná é um exemplo nacional".

“Trabalhamos muito e conseguimos construir um consenso entre os trabalhadores, os empresários e o governo”, afirmou o secretário Ney Leprevost.

O salário mínimo regional é uma referência para a negociação das categorias sindicalizadas e uma garantia para as categorias que não têm sindicato ou acordos e convenções coletivas de trabalho.

De acordo com os cálculos do Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos (DIEESE) o piso salarial será reajustado por atividade profissional. Na categoria 1 o valor sobe dos atuais R$ 1,467 para R$ 1,617; na faixa seguinte, de R$ 1,524 para R$ 1,680,80; na outra categoria, de R$ 1,577 para R$ 1,738 e na última faixa, de R$ 1,696 para R$ 1,870.

A nova base salarial foi definida em consenso pelo Conselho Estadual do Trabalho, Emprego e Renda, que é formado por representantes do Executivo, de seis federações do setor patronal e das seis principais centrais sindicais (representando os trabalhadores), e acompanha o cenário de retomada econômica no Paraná.

A medida vale exclusivamente para os empregados que não tenham piso salarial definido em lei federal, convenção ou acordo coletivo de trabalho.

A chefe do Departamento do Trabalho e Estímulo de Renda da Secretaria de Justiça, Família e Trabalho, Suelen Glinski, afirma que o processo adotado no Paraná ouve todos os segmentos interessados. “A política de valorização do Piso Salarial no Estado do Paraná é definida de forma tripartite e democrática entre os representantes das centrais sindicais e federações patronais, com a mediação do Governo do Estado. Hoje o Paraná possui o maior piso regional do País e com a nova regra definida, a previsão é a de que se mantenha como líder no ranking nacional”, disse.

A minuta final da proposta foi aprovada na reunião do CETER realizada nesta quarta-feira. Agora o projeto segue para a Procuradoria-Geral do Estado, depois para a Casa Civil e em seguida será editado como decreto pelo governador. Os valores devem ser pagos retroativos ao dia 1º de janeiro.

(Via assessoria de imprensa – Edson Fonseca)