Secretaria de Justiça, Família e Trabalho cria Conselho Estadual de Economia Solidária e empossa seus primeiros membros
16/02/2022 - 09:10

O grupo de nove conselheiros do Conselho Estadual de Economia Solidária do Paraná foram empossados nesta terça-feira (15) pelo secretário de Justiça, Família e Trabalho, Ney Leprevost.  O Conselho atende às pessoas que desejam se organizar em novos empreendimentos de economia solidária ou consolidar aqueles já constituídos, como cooperativas de catadores de papel e associações de artesanato. No Paraná, deverão ser beneficiados, a média prazo, 2 mil empreendimentos e 100 mil trabalhadores.

“Esse Conselho será uma importante ferramenta para o desenvolvimento de ações da Política de Economia Solidária. Caberá a ele elaborar políticas públicas e trazer ideias, principalmente para aqueles empreendedores de menor porte, que no futuro poderão gerar empregos”, disse o secretário da Justiça, Família e Trabalho do Paraná (Sejuf), Ney Leprevost. 

A Lei que institui a Política Estadual de Economia Solidária foi regulamentada pelo decreto 3932/2020, do governador Carlos Massa Ratinho Junior. O conceito de economia solidária vem do trabalho realizado de forma cooperativa e solidária para produzir bens e cultura, prestação de serviços, consumo, comercialização e realização de operações de crédito. O resultado deve ser a partilha equitativa, entre os participantes, do resultado produzido.

O deputado Professor Lemos, autor da Lei que criou a Política Estadual de Economia Solidária, destacou a atuação da Secretaria de Justiça, Família e Trabalho. “O secretário Ney Leprevost e toda a equipe da secretaria vem fazendo um trabalho diferenciado, muito positivo, e esse conselho está sendo construído há muito tempo e muitas mãos”.

O deputado Guto Silva, ex-chefe da Casa Civil, lembra que a implantação do Conselho é importante para chegar onde o Estado não chega. “O Governo precisa trabalhar em conjunto com a sociedade a construção de uma sociedade mais justa. Quero parabenizar o Ney Leprevost pela excelente gestão”, disse

Cabe ao Conselho e a sociedade construírem programa com a Sejuf para atender a urgência de organização de iniciativas de geração de trabalho e renda e enfrentar dificuldade econômica causada pela pandemia.

“A economia solidária é diferenciada na nossa sociedade, porque a riqueza criada vai diretamente para a mão do trabalhador”, declarou o procurador Olympio de Sá Sotto Maior.

Os conselheiros - Os representantes do governo estadual são Alberto Ricardo Opolz (titular) e Milton Kubicke Rech (suplente), da Secretaria de Justiça, Família e Trabalho; Rodriano de Souza (titular) e Desirée Barbosa Santiago (suplente), da Superintendência Geral do Diálogo e Interação Social; Valdenir Batista Veloso Neto (titular) e Márcia Cristina Stolarski (suplente), da Secretaria de Agricultura e Abastecimento.

São três representantes de Empreendimentos Econômicos Solidários: Tânia Mara Jubanski dos Santos (titular) e Israel Lourenço (suplente), da Rede Paranaense de Economia Solidária Campo-Cidade, Rede Mandala; Edson Leonardo Pilati (titular) e Adilson Gumieiro (suplente), da Cooperativa Mista de Agroindustrialização e Comercialização da Agricultura Familiar e Reforma Agrária; Ronaldo José Moreira (titular) e Marilene da Silva Queiroz (suplente), da Associação dos Artesãos de Cascavel – Ninho das Artes.

Representantes de Entidades de Apoio e Fomento: Maria Luisa Carvalho (titular) e Marcos Antonio Silvério (suplente), da Rede de Incubadoras Universitárias de Apoio a Fomento à Economia Solidária do Paraná; Marcos Vinícius Regazzo (titular) e Rosangela Rigoni (suplente) da Cáritas Brasileira; Maria de Fátima Costamilan (titular) e Marcos José Ferreira (suplente), da ONG Moradia e Cidadania do Paraná.

Presenças – Participaram do evento o secretário de Justiça, Família e Trabalho, Ney Leprevost; os deputados estaduais Guto Silva e Professor Lemos; o procurador Olympio de Sá Sotto Maior; os vereadores Alexandre Leprevost, Professora Josete e Márcio Barros; o vice-prefeito de Guaratuba, Edson Camargo, representando os prefeitos e a secretaria de Assistência Social de Colombo, Elis Lazarotto.

(Via assessoria de imprensa – Edson Fonseca)