Secretaria de Justiça, Família e Trabalho intensifica ações da Força-Tarefa Infância Segura no Litoral do Paraná
13/01/2022 - 18:26

 O secretário Ney Leprevost, de Justiça, Família e Trabalho, determinou que a Força-Tarefa Infância Segura (Fortis) atue com os órgãos municipais do litoral do Paraná e com a rede de proteção à infância para intensificar ações efetivas de prevenção.

Nesta quinta-feira (13), foi assinado um termo de adesão à Fortis pela Prefeitura de Pontal do Paraná, através do prefeito Rudão Gimenez para atuar também com o conselho tutelar local, os comerciantes e entidades em defesa dos direitos das crianças.

De acordo com o secretário Ney Leprevost o objetivo é intensificar as ações da sociedade em apoio às forças de segurança e órgãos responsáveis pela proteção à infância. “Além de reforçar as ações dos órgãos responsáveis, contamos com a sociedade em geral para que denuncie as situações de abuso e abandono, pelo telefone 181. Toda a sociedade deve ajudar no bem-estar das crianças”, afirma.

Do ponto de vista prático, o secretário explica que a ideia é tornar a busca por socorro mais próxima da comunidade. “Essa força-tarefa estará circulando perto das praias e vias de maior movimento, para alertar aos pais e a própria polícia sobre cuidados que devem existir para com as crianças. As pessoas podem procurar alguém com um desses coletes amarelos da Fortis. Essas pessoas estão treinadas para encaminhar a busca da solução para a autoridade competente. É uma espécie de mutirão que a gente faz para proteger as crianças em locai de maior concentração de pessoas ou de perigo”, explica Ney Leprevost.

O evento foi realizado na Prefeitura de Pontal do Paraná e contou com a participação de representantes de diversas entidades. As equipes da Fortis pretendem intensificar as ações para promover mobilizações em pontos estratégicos como a entrada do ferry-boat, nos horários de pico nos calçadões centrais de Matinhos e Caiobá, Guaratuba, Pontal do Paraná e Praia de Leste e também a utilização dos carros da Fortis, no período de 17/01 a 03/03, para qualificar e agilizar o atendimento das situações envolvendo crianças e adolescentes.

A chefe do Departamento de Políticas para a Criança e Adolescente da Sejuf e presidente do Conselho Estadual dos Direitos da Criança e do Adolescente (CEDCA), Angela Mendonça, destaca que os conselheiros tutelares têm importância fundamental na rede de proteção local. “Esse trabalho precisa ser apoiado pela rede comunitária, contar com o apoio dos vendedores ambulantes e dos comerciários no cuidado com as crianças”, diz Angela Mendonça.

Para o chefe do Departamento de Justiça da Secretaria de Justiça, Família e Trabalho, Sílvio Jardim, a ação demonstra a preocupação do secretário Ney Leprevost com a segurança das crianças e adolescentes. “A Fortis vem prestar essa solidariedade, esse apoio, com ações de conscientização das famílias para que tenham cuidados com as suas crianças e adolescentes”, declara.

O prefeito de Pontal do Paraná, Rudão Gimenes, lembra o aumento exponencial da população nos municípios do Litoral nessa época e os consequentes problemas. “É um trabalho relevante para o nosso litoral. No momento em que temos o trânsito de muita gente pode ocorrer um índice maior de violência contra a criança. A atenção do secretário Ney Leprevost de trazer essa força-tarefa é de grande valia para a nossa cidade e especial para as crianças” agradeceu o prefeito.

A secretária de Educação do Município, Adriana Teresa Haas Ferreira, afirma que a ação da Secretaria de Justiça, Família e Trabalho se soma ao que o município vem planejando. “Estamos criando a rede de proteção à infância em Pontal do Paraná e estamos precisando de mais efetividade. A Sejuf está dando o apoio para a gente fazer esse tripé: família, escola e educação. A sociedade precisa se mobilizar para pensar num futuro integral para essas crianças”, declara.

Fortis - A Força-Tarefa Infância Segura foi criada pelo secretário Ney Leprevost durante a gestão do governo Carlos Massa Ratinho Junior e estabelece uma rede de proteção envolvendo secretarias de estado, Poder Judiciário, Ministério Público, OAB, Conselhos Tutelares, Forças Policiais e instituições da sociedade civil organizada para a integração das políticas públicas dos sistemas de justiça, segurança, assistência social, educação e saúde, com ações coordenadas e efetivas para o acolhimento e o atendimento integral às crianças vítimas de violência.

(Via assessoria de imprensa – Edson Fonseca).