Estado apresenta mudanças do Cartão Futuro a empresários de Maringá e região
25/10/2022 - 16:32

A Secretaria de Estado da Justiça Família e Trabalho apresentou ao empresariado de Maringá e região, nesta segunda-feira (24), as alterações do Cartão Futuro, programa do Governo do Estado que subsidia parte do salário de adolescentes e jovens como forma de ampliar o acesso ao primeiro emprego.

O evento organizado pelo Escritório Regional da Sejuf em Maringá contou com a participação de empresários, instituições formadoras, prefeitos, secretários municipais e servidores da rede Sine – Sistema Nacional de Emprego e do Suas (Sistema Único de Assistência Social) dos 29 municípios que compõem a regional.

“O Cartão Futuro decolou. Realizamos mudanças legislativas, junto com essa busca ativa ao empresariado para ampliar o escopo do programa e o número de beneficiados”, afirmou o secretário Rogério Carboni.

A chefe do Escritório Regional, Silvana Arruda, destacou a importância da sensibilização dos mais de 120 participantes sobre à adesão ao programa. “A inserção no mercado de trabalho dos jovens de 14 a 24 anos em situação de vulnerabilidade socioeconômica é uma das prioridades do Governo do Paraná, e para isso é fundamental esse incentivo às empresas”, disse.

Os participantes puderam tirar dúvidas em relação às formas de adesão e às mudanças no Cartão Futuro, como a ampliação da faixa etária atendida, a faixa de renda máxima dos beneficiados, a inclusão de novos segmentos populacionais e a possibilidade de adesão por parte do setor público, autárquico e instituições formadoras. Anteriormente, o programa era restrito ao setor privado.

Também houve uma apresentação do Senai (Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial) sobre os programas disponíveis para os municípios da regional e estandes das instituições formadoras.

O QUE É – O objetivo do Programa Cartão Futuro é a inclusão da população vulnerável jovem que necessita de políticas públicas voltadas à inclusão no mundo do trabalho. Os recursos são oriundos do Fundo da Infância e da Adolescência (FIA), deliberados pelo Conselho Estadual dos Direitos da Criança e Adolescência (Cedca), e do Fundo Estadual de Combate à Pobreza.

“Com o Cartão Futuro todos saem ganhando. A empresa, além de receber a subvenção, tem a garantia de um profissional em constante capacitação e aprimoramento. Enquanto isso, os jovens além de conquistarem o emprego, adquirem conhecimento e experiência no mercado de trabalho”, ressaltou Rogério Carboni.

São repassados para as empresas participantes R$ 300 por mês para cada jovem contratado e R$ 450 se for pessoa com deficiência, egresso do sistema socioeducacional, aprendizes que estejam em situação de medida protetiva de acolhimento institucional ou programa de acolhimento familiar, e de adolescentes vítimas de trabalho análogo à escravidão.

Para se beneficiar do programa Cartão Futuro, o jovem deve ser membro de família com renda mensal total de até três salários mínimos. A família precisa estar inscrita no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico) ou deter declaração de vulnerabilidade social emitida pela Assistência Social do município.